12/09/2006

Clarice Lispector...A Estrela Maior


Clarice Lispector
(10/12/1920 a 09/12/1977)

Hoje faz exatos 29 anos que a incomparável
Estrela da nossa Literatura nos deixou. Clarice
Lispector, sem dúvida foi um ícone do século XX,
não só no Brasil, mas na Europa também. Essa
Ucraniana, que chegou ao Brasil com 2 meses
de idade, Nasceu Estrela, escreveu como
Estrela e consolidou-se como
Estrela no firmamento.

Escreveu no período denominado modernismo,
construindo uma obra vasta e concisa, composta
principalmente por romances. Porém na sua obra
encontramos também poemas, contos e crônicas.

Com intensidade e densidade nunca antes atingidas,
Clarice conseguiu o equilíbrio improvável de
andar sobre o fio de uma navalha para rasgar os
véus do real e mostrar o até então indizível,
o não dito dos impulsos pensantes, das
pulsações da consciência e da escrita.


Dá-me a tua mão:
Vou agora te contar
como entrei no inexpressivo que
sempre foi a minha busca cega e secreta.
De como entrei naquilo que existe entre
o número um e o número dois, de como vi
a linha de mistério e fogo, e que é
linha sub-reptícia.

Entre duas notas de música existe uma nota,
entre dois fatos existe um fato,
entre dois grãos de areia por mais juntos
que estejam existe um intervalo de espaço,
existe um sentir que é entre o sentir
-nos interstícios da matéria primordial-
está a linha de mistério e fogo
que é a respiração do mundo,
e a respiração contínua do mundo é
aquilo que ouvimos e chamamos de silêncio.
(Clarice Lispector)

Diante da originalidade e genialidade da escrita
de Clarice, compreende-se melhor a fórmula
segundo a qual a literatura no século XX
deixou de ser a escrita da aventura para
tornar-se a aventura da escrita, uma
iniciação e uma aprendizagem.
O próprio ato de escrever é vivido e
revelado em um estado de consciência
exaltada, exacerbada, que evoca uma
singular e solitária experiência mística.

Sua linguagem é fluída e envolvente como a música
de Debussy, que tanto amava. A música, a mais
dialética das artes, que vem a ser na medida
em que vai deixando de ser e só se completa no
silêncio, como a vida. Clarice dedica "A Hora da
Estrela", entre outros, a Schoenberg e a Strawinsky,
o que demonstra o quão afinada estava não apenas
com os escritores mais ousados e experimentais,
mas também com a música contemporânea atonal e
dodecafônica, assim como com as abstrações
das artes plásticas.

"Clarice tem um significado ímpar em nossa
literatura. Seu estilo foi singular, nunca fora
simples, a um requinte pulsante na obra de Clarice.
Seus temas são densos e complexos, geralmente
voltados para as questões interiores dos
personagens, sempre ponderando questões
existenciais. Pela forma como elaborou tais
questões e as colocou, ler Clarice Lispector
é encantamento imediato."

(By Daniele Vasques)

------>Site Clarice Lispector<------

Esse Post faz parte da blogagem coletiva,
sobre a Inigualável Clarice Lispector,
em que cada um se propôs a escrever,
sobre a Dama Maior da nossa literatura.
A iniciativa fora da
Cris, e o convite
à mim feito partiu do
Lino Resende.

----------#-----------

Image Hosted by ImageShack.us

Florbela Espanca
(08/12/1894 a 08/12/1930)

Dia 08/12, comemorou-se o nascimento e
a morte da Magistral Poetisa Portuguesa,
Florbela Espanca.

A poesia de Florbela, não pode ser separada
da sua condição de mulher, das suas paixões,
da sua maneira de ser, da sua vida, das suas
contradições, humildade e orgulho, preconceitos,
sua presença e ausência, seus amores e desamores.

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior do
que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e Além Dor!

É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!
É ter fome, é ter sede de Infinito!
É condensar o mundo num só grito!
(Florbela Espanca)

"A obra de Florbela demonstra por
inteiro o que assolava a sua alma,
"O Amor" e os ingredientes que
romanticamente lhe são inerentes:
a solidão, a tristeza, a saudade,
a sedução, a evocação da morte".

------>Site Florbela Espanca<------

----------#----------

Minha homenagem a essas duas mulheres
incomparáveis, que escreveram sobre o Amor, a dor,
a angústia, a busca e a solidão na sua plenitude.


Poetisas são poucas...
Intensas, iluminadas...
Insanas, torrenciais...
Singulares, surreais...

Poetisas são boêmias...
Paradigmas, paradoxais...
Anacrônicas, atemporais...
Ora sacras, ora profanas...

Poetisas são notívagas...
Vagueiam noite adentro...
Declamando poesia ao vento...
Navegam em rios de sonhos...
Pintando aquarelas no céu...
(By Daniele Vasques)

41 comentários:

Tina disse...

Oi querida!

Ainda ontem estava a pensar sobre Florbela Espanca: tanta beleza e tanta dor. Linda e se foi tão cedo.

Clarice era linda, Clarice enobrece nossa literatura. Clarice merece.

E você também, por tão lindos escritos. Obrigada por dividir.

beijo com carinho,

farinho disse...

Apesar de gostar de poesia, muito aliás, sou uma ignorante, em termos de poetas, obrigada por partilhar importatissimas informaçoes conosco.

A sua poesia não fica aquem de ninguém, acho que escreve maravilhosamente.

Beijocas poeticas.

Saramar disse...

Dani, querida, eis que estamos na mesma blogagem! Que cois maravilhosa! Só agora descobri lá no Lino.
Obrigada pelo seu carinho.
Não falei ontem da aula de literatura e beleza? Repito tudo novamente.

Beijos

Livros & Literatura disse...

Dani, a oportunidade de conhecer vários posts sobre a Clarice é um privilégio único. A blogagem coletiva é uma ótima opção, principalmente quando nos deparamos com blogs tão belos quanto o seu.
Parabéns e um abraço. Marcela.

adelaide amorim disse...

Bonita homenagem a Clarice e Forbela, essas duas mulheres que nos fazem sentir orgulhosas de nossa língua portuguesa e de ser mulheres também! Um beijo grande pra você e pra seu filho, que é lindo! Parabéns, Daniele!

Kafé Roceiro disse...

Ficou linda a homenagem! Duas poetisas de primeira. Gostei pacas.

Grace Olsson disse...

Eu adoro FLorbela e Clarice...Adorei sue post e sua visita ao meu blog....Dias felizes...

Angela disse...

Mais um post muito interessante que nos fala de duas grandes mulheres das nossas literaturas. É verdade que o século XX, foi o século da poesia em que houve uma grande libertação. As normas e regras ficaram para trás. Valorizou-se a emoção, a palavra.

O teu poema homenageia lindamente todas as mulheres que escrevem poesia. Tu és uma linda poetisa!

Beijo grande de quem te admira muito.

Cris Penaforte disse...

Oi Dani...vim agradecê-la por participar conosco da Blogagem coletiva, e tb conhecer seu blog, que é lindo!!!!Prazer em conhecê-la...apareça sempre por lá...Florbela e Clarice são maravilhosas, lindo post!!! Beijos carinhosos, Crissssssssssssss...

Regiane disse...

Olá
adorei conhecer seu cantinho. Parabens
Te ofereço meu award. Tenha uma super semana. Bjókitas

100smog lda. disse...

:) muitos parabens pela aposta! adoro florbela espanca!!! grande beijniho e espero q tudo esteja bem!!!!

Lela Sodré disse...

Minha querida amiga, quantas saudades de palavras tão lindas......Estou voltando devagarinho, sem forçar a barra desta máquina pré-histórica...kkkk...Ele me deixa na mão mas vale a pena sofrer um pouquinho pra visitar vcs, que a mim são tão caras........
Beijos

Regina disse...

Minha amiga do coração como está você? Estou com saudades e adoro vir aqui pois sinto você mais pertinho.Vim deixar beijos e dizer que quando leio esses poemas divago e até esqueço que estou acordada.São lindos, amo Florbela Espanca.Linda queria te perguntar se tens um e-mail que pudesse mandar através do meu (se puder é claro)pois fiz uma lembrancinha pra ti e gostaria de enviar.Se puder me manda tá? Apareça.Beijos e fique com Deus.

Cadinho RoCo disse...

Ler poesia também é poetar.
É pela memória que eternizamos.
http://cadinhoroco.blogspot.com/

Vera disse...

Minha tão querida Daniele, confesso que fiquei comovida! Muito emocionada mesmo!
Homenagem magnífica a tua! És maravilhosa minha amiga!
Florbela Espanca é uma das poetisas que mais admiro! Ou mesmo a número 1 para mim. Era absolutamente extraordinária e os seus poemas têm tanto sentimento que nunca me canso de reler o que ela nos deixou!
Um beijo enorme para ti! Cheio de orgulho e admiração por seres tão divina!

Machado de Carlos disse...

Ser Poeta
Florbela Espanca

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!

Marco António disse...

Recordar, reler em silêncio palavras e sentimentos profundos emanados por poetas e poemas intensos e eternos.

Um abraço,
Marco António

Cármen Neves disse...

Boa tarde!

Elas são realmente, maravilhosas!
Gostei do teu blog e,já está nos meus favoritos.
Sucesso, querida!
com carinho,
Cármen Neves.

Cármen Neves disse...

Boa tarde!

Elas são realmente, maravilhosas!
Gostei do teu blog e,já está nos meus favoritos.
Sucesso, querida!
com carinho,
Cármen Neves.

Angélica disse...

amiga..nossa adorei o post!!
duas grandes personalidades..duas mulheres fortes..inteligentes..e grandes poetisas ..duas ke eu adoroooooo!!! essa semana mesmo postei sobre a Clarice ...bem..vim deixar bjus e desejar dias felizes.bjus mil.

Ricardo Rayol disse...

Daniele, pelo jeito a influencia delas em você é muito forte. Bela homenagem e mais do que merecida. Espero que continues a nos brindar com teus ótimos escritos....

PS: Estou seguindo sua sugestão e publicando com mais vagar.. vagarosamente vagarooosooo. :-)

Carlos disse...

Sempre ouvira falar de Florbela. Nos sarais em que participei alguém lembrava um verso; - uma lembrança de Florbela! Consegui um livro emprestado com sua obra completa. Fascinou-me! Principalmente parte de alguns sonetos inacabados antes da morte. Nos versos parecia um aviso de fugas frustradas. Chegara o fim. No entanto Florbela está viva. Basta ler cada verso, pedaços de sentimentos. Emociono-me com a interpretação de Fagner para o soneto Fanatismo.

Saramar disse...

Querida, você está nos dando verdadeiras aulas e, melhor ainda, cheias de poesias.
Belíssimo post.
Eu adoro Florbela. Desde criança, acostumei-me a ler seus sonetos e gosto de todos.
Uma mulher cuja tormenta se insere nos versos e na vida.
Obrigada.

Beijos
P.S. Amanhã vou postar sobre Clarice no Janelas. Não com essa perfeição, é claro, mas tentei. Beijinho.

Cleo disse...

Olá Daniele!
Um post muito bem construído, que nos dá a conhecer um pouco mais destas duas mulheres, unidas aqui, por uma paixão semelhante, a paixão da escrita dos sentimentos, coisa que tão bem souberam fazer!
Viveram e morreram... mas continuam bem vivas nas suas obras!!
Uma bela e merecida homenagem.
Gostei muito, mesmo!

Beijo soprado

Lino Resende disse...

Daniele:
Belas escolhas para os textos da Clarice e boas informações em todo o post, o que contribui para se ter uma idéia de quem ela foi.
Estou passando para agradecer sua participação nesta coletiva, cujo objetivo é homenagear Clarice.
Obrigado.

reginasimoes disse...

Daniele,
Homenagem justa e belíssima não só a Lispector mas, também, a Florbela Espanca. Percebe-se claramente a influência delas nos seus escritos. Parabéns!

Vera Fróes disse...

Daniele, gostei muito da sua homenagem a essas duas mulheres: Clarice e Florbela.
Eu fiz a minha homenagem a Clarice e e a outra mulher super autentica: Cássia Eller que tbm nasceu no dia 10 de dezembro.

Bjos.

Marcos disse...

É justamente a densidade das personagens de Clarice o que mais me encanta.

Tó Luis disse...

Olá querida amiga...
Passei para te lêr...estou esperando por Klimt, claro que sem pressa, sei que vais fazer um excelente post sobre o adorado artista...
Beijos e bom Domingo
Tó Luis

Regina disse...

Querida Dani.
Obrigada pela visita, sua atenção e carinho me proporcionou um momento de muita alegria.
Você é mesmo muito especial!
Que Deus abençoe nossa semana, que ela seja cheia de alegrias.
Beijinhos.
Regina

Tina disse...

Dani!

Lindo... lindo post. Lidas palavras, só poderiam ter vindo de você. Obrigada. Linda você. Linda em versos e em poesia. Linda pessoa.

Obrigada pelo comment querida.

grande beijo e boa semana,

Hilda disse...

Admiro demais Clarice Lispector, como mostrou os recônditos de sua alma...

Florbela Espanca, poetisa de um romantismo às vezes pungente.

Daniele, a poetisa sensível e que mergulha nos sentimentos sem medos...

Post mais do que lindo! Beijocas...

Luma disse...

Fez ótimas escolhas para o texto!!
Clarice sempre Clarice!! Beijus

Carlinha disse...

Oi Daniele,

Belíssima postagem. Sobre Florbela, confesso que tive contato com sua poesia pela primeira vez este ano.
Adorei e procuro, agora com a calma de uma semana de formada, poder ler mais.

Teu blog me surpreendeu pelo lay, já tinha vindo aqui, vi, mas não li, pelo mesmo motivo acima exposto.
Quem sabe com a calma possa sentir tuas poesias?
Como explicastes poesia não se explica, né?

Betty disse...

Dani
Uma estrela da grandeza de Clarice merece todas as homenagens.

Creio, porém, que a maior de todas estamos fazendo ao proporcionar que a conheçam aqueles que nada sabiam dela, ou que a conheçam melhor aqueles que dela sabiam quase nada.

Obrigada pelo comentário, e parabéns pelo post. Muito bom o seu blog!
Beijinho

Lila disse...

Oi Dani! vim retribuir sua visita e adorei seu post! além de conhecermos mais sobre Clarice,acabamos por fazer novas amizades também,muito bom!
beijo e boa semana!

FE disse...

Todos os poemas lindos como sempre e um conhecimento sublime sobre os mesmos (eu já visito seu blog faz um tempinho, mas um dia te revelo o mistério de "aparecer" só agora)
Bjinhos Dani!

FE disse...

Querida, linda e amada, como sempre!
Na verdade, atualente, estou só relembrando situação chatas, não que elas estejam acontecendo agora!
Don't worry baby!
Quanto a encontrar outro, morei 4 meses em Londres e passei uma semana na frança, e não me apareceu um que prestasse e dissesse stay here, please!... ou qualquer outra coisa com biquinho que eu não entenderia em francês...

Mas não teve jeito...

Hoje, eu e o dito cujo namoramos já e estou super feliz com isso, mas foi uma luta, hehehe

Bjinhos...

Helenice disse...

Ei Daniela, lindo seu blog e muito inteligente sua homenagem à Clarice, com informações interessantes e bem posicionadas. Obrigada pela visita e tem coisa no seu blog que quero conhecer, nossa Camille Caludel, que isso! Muito chique. Beijos e boa noite para vc. Lindo seu filhinho também.

Sergio disse...

Olá, Daniele!

Obrigado pela visita ...bela homenagem o seu poema...confesso que não conhecia bem a Florbela, mas gosto muito do jeito da Clarice. O bom da blogagem coletiva é essa oportunidade de conhecermos e aprendermos mais dos homenageados.
Como falei na minha resposta a voce, nao é aprimeir vez que leio voce, mas é a primeira que comento. Voltarei.

Um beijo e boa semana

Desassistidas disse...

Eu aaaaaamo Clarice Lispector! Post inspiradíssimo!
Arrasou!
Beijo das Desassistidas!!