12/01/2006

Veleiros & Borboletas


Veleiros e Borboletas...

Velas e asas sempre prontas para partir...

Frágeis viajantes ao sabor do vento...

Veleiros singram mares...

Borboletas cortam o ar...

Veleiros são errantes...

Borboletas sabem aonde chegar.

(By Daniele Vasques)

23 comentários:

Carlos disse...

Sim vc. é poetisa! Todos que escrevem com o coração é poeta. Agradeço-lhe pelo seu comentário.

Clara disse...

Nossa, arrasou...
Querida, me desculpe a ausência, fim de ano é muita correria mas, estou de volta e vim saber notícias suas e te deixar um recadinho:

Celebrar a vida é:
somar amigos, experiências e conquistas
dando-lhes sempre algum significado.

Hilda disse...

Linda analogia, Daniele! Beijos querida e bom final de semana!

Soraia & Filhotas disse...

Oi mana querida!!!
Eh sempre tão bom receber sua visitinha...Tb amo vc!!!
Boa tarde...Beijos=***

farinho disse...

Querida amiga Dani, deixa-me sempre sempre sem palavras, com os comentários que deixa no meu cantinho. Só uma pessoa doce como a Dani, para escrever sempre algo especial.


Beijocas doces.

Cadinho RoCo disse...

Velas e asas no navegar de nossas divagações.
Grato pela visita ao nosso blog.
Cadinho RoCo
http://cadinhoroco.blogspot.com/

Ricardo Rayol disse...

A propósito, obrigado por colocar meu banner aqui. Fiquei muito feliz

Fatima Gama disse...

Lindo poema amiga, eu não sou como o veleiro, sou como a borboleta rsr. Bjs

Tó Luis disse...

Olá querida amiga Dani...
Está correcta a tua interpretação mas até eu fiquei com uma dúvida:
Dánae é um tema mitológico a onde Zeus transformado numa chuva dourada amou Dánae ficando como uma lenda esse momento.
A chuva de ouro que escorre pelo corpo de Dánae é uma ornamentalização do corpo tornado sagrado ou seja ela transforma a carne num código ornamental tal e qual como uma obra de arte dando o Eros como um simbolo e no fundo o erotismo e a sensualidade suprema...
Querida Amiga é a minha pequena coloboração...
Já agora, na minha ultima pintura inspirei-me numa fase de Klimt num movimento da época a onde a Natureza era um tema predominante...

Um bonito poema a onde todos nós temos um pouco de ambos (Veleiros e Borboletas) por vezes somos como essa duas frequências durante as nossas vidas...
Bjs Dani, foi bom o teu regresso á Galeria...

Saramar disse...

Querida, creio que ess epoema se parece demais comigo, com o que ando vivendo autalmente.
Eu escolhi a borboleta para ser meu símbolo no ano de 2006 e, de repente, um veleiro cheio de amor está vindo em minha direção.
Não é idêntico ao que escreveu? Eu me identifiquei demais com os belíssimos versos.

Obrigada.

Beijos

Mary E Jairo disse...

OIÊ!!!
Jingle bells, jingle bells, jingle all the way!
Agradecemos o carinho no Blog Entre Amigos!
Desejamos um Ótimo Fim de Semana!
Beijos no coração,
MARY e JAIRO.
http://blogentreamigos.zip.net
http://casaldelobos3.zip.net
http://mary.am.blog.uol.com.br

Cleo disse...

Veleiros e borboletas... uma combinação que ficou espectacular nas tuas linhas escritas em jeito de poesia!

Beijo soprado

Ju disse...

As borboletas são tão preciosas não é minha linda?
Elas são sábias modificadoras de si mesmas...Duas vidas em apenas uma...Quem dera que aprendêssemos a tirar do casulo as nossas almas... ?Mas sendo essa metamorfose ambulante?e me contradizendo...Existem sim pessoas cuja alma sai de casulos e nos encantam de todo jeito!!!
És essa pessoinha dani!!! =]
Minha linda posso te pedir um favor?
Poderias votar em minha poesia: ?sem intenção?
No blog: http://concursodepoemas.blogspot.com/

A votação é no local dos comentários ;)
Amoooooooooo-te e que seja de alegria e sorrisos o teu final de semana! =]

cleo disse...

Olá!
Venho agradecer tua simpática visita e dizer que sim, podes meter o link do meu blog, aqui na tua casinha.Fico muito grata e irei fazer o mesmo.
Muito obrigada e um beijinho soprado, neste Domingo chuvoso, daqui... do outro lado do oceano!

Carlos disse...

Estou feliz com o seu comentário em meu cantinho;

Ouve!...
Machado de Carlos

Agradeço de coração, alma boa,
Tuas palavras de amizade pura;
A envolver-me nas as horas de amargura
Com tua mensagem que aperfeiçoa.


Quando o cimento oculta e me aguilhoa
Neste limo e de pedra muito dura
Chegas de mansinho...encontro cura!...
? Como lhe agradecer a verbo que abençoa?


Com tua mão perfumada esqueço a dor,
E vivo neste orbe, farto de amor!...
Como é bom ter o teu ombro cristalino!


Tua amizade é a luz do meu mundo,
Com ela perco-me num sonho profundo!...
? Que Deus te abençoe, alma que me ilumina!...


Carlos,

ships disse...

não seriamos nós tb assim? a caminho de algum lugar?! sejam borboletas, veleiros.. todos com destinos, todos com a obrigação maior.........a de servir
minha amada amiga

eternal abraço

ships

Tina disse...

Lindo e suave Dani, como o vôo das borboletas ao sabor do vento...

Gosto muito do seu jeito de escrever, muito bom de ler.

beijos querida, ótima semana!

Ricardo Rayol disse...

Asas abertas
Ao vento, ao tempo
Velas e asas
Ao destino enviam
Caminhos cruzados
Borboletas e barcos
Velas e asas
Naveguam ao vento
Mar e terra
Destinos incertos
Certa a pousada

Ricardo Rayol disse...

Espero que tenha gostado... seu poema é muito maneiro e dificil de dar a réplica.

João Filipe Ferreira disse...

que lindo poema...super suave.adoreiii
beijinhooooooo

Regina disse...

Ho ho ho ho!
Te enganei! Pensou que fosse o papai noel, né Dani?
Sou euzinha mesmo bzzzzzzzz Sobrevoando bloguinhos, hehehe
Passando para matar saudades e desejar uma ótima semana.
Um beijo carinhoso
Regina

Angela disse...

Tudo o que escreves é sempre tão delicadamente belo!

A tua imagem também está muito bonita.

Beijo grande.

Vera disse...

Querida Daniele, lindas imagens que me chegam à cabeça ao ler este poema lindo!
As borboletas sabem para onde vão, apesar de tão pequenas e delicadas!
Beijinhos amiga poetisa!