10/24/2006

Um Dia...



Um dia...
quando lançarmos nosso olhar,
na direção da popa de nossas vidas...
Saberemos a verdade.
Haveremos de nos arrepender da
dura arrogância dos tempos ensolarados...
Haveremos de lastimar o radicalismo
das nossas pretenciosas convicções.

Um dia...
quando diante do espelho mirarmos
a decadência que o tempo nos impos...
Haveremos de verter lágrimas,
não pelo que fizemos, mas pelo que
deixamos de fazer.

Um dia...
nos veremos no horizonte de nossas
memórias, ainda jovens, egoístas, plenos
de certezas e vazios de compaixão...
Haveremos então, de repudiar mesmo que
tardiamente, o recuo que nos recusamos a dar.

Um dia...
quando a escuridão se apossar de nossos
olhos, quando o ar que desatenciosamente
respiramos, nos abandonar...
Haveremos de em um gesto, estender nossas
mãos em busca de outras mãos...
Haveremos em um delicado gesto,
balbuciarmos nossos nomes...

E quem sabe então,
descobriremos o mistério da Vida.
(By Daniele Vasques)

15 comentários:

Angela disse...

Enquanto somos jovens, pensamos sobretudo em nós e naquilo que no momento queremos.
Um dia, com mais idade, quando olharmos para trás, quando já fôr tarde demais, veremos que talvez o essencial ficou de lado...
Mas hoje, não vemos. O ser humano é assim. Nunca pensamos que um dia vamos acabar!...

Linda reflexão a tua!

Beijinhos.

Queria dizer-te que és muito bonita e que o teu filhote também! tudo de bom para vocês!

Ju disse...

Palavras sempre tão lindas Dani,e hoje me pego numa atmosfera sensível de mais,e me vi totalmente colocadas em tuas palavras...Só espero um dia poder olhar para trás na estrada que fiz, e vislumbrar coisas belas...Se algum espinho deixei cair no caminho e alguém por ventura machucou-se,espero que haja um perdão para isso, e tudo o que busquei foi sempre o bem, o melhor e o sorriso,não apenas meu,mas principalmente do meu próximo!
Adoro-te de mais, e é sempre um prazer vir aqui no teu cantinho lindo minha florzinha perfeita! =]

Tina disse...

Oi Dani!

Que esse dia demore muito...

Lindas palavras querida.

beijos,

Vera disse...

Querida Daniele, que lindas palavras! Magnífica reflexão sobre a vida!
Que arrogantes somos por vezes, querendo viver tudo e afinal não vivendo nada. Deixando de lado o que é verdadeiramente importante. E só no final, queremos estender a mão e ter alguém que nos ampare...
Adorei!
Tu és linda demais mesmo Daniele, assim como as tuas palavras!
Um beijo enorme

Fatima Gama disse...

Lindo poema minha amiga, gostei muito, um dia teremos então a consciência de que hoje nada sabemos e neste momento de grande sapiência de nada ela servirá, será tarde demais porque já será a hora do fim! A vida é mesmo ingrata rsr. Bjs

Valeria disse...

Minha tão linda amiga e poetisa ...
Essa replexão nos faz pensar em como muitas coisas nos passam despercebidas , o quão importante é cada detalhe da nossa vida , afinal, ela nos é um presente de Deus !
Talvez , "um dia" sejamos capazes de descobrir o mistério da vida , mas por enquanto o melhor a fazer é descobri-la a cada segundo, mesmo que sem mistérios !
Lindo !!!
Beijos no coração , e beijo enorme no Ví !

PS: Fui no Haloscan mas vc esta dando fim a ele ? rs " é pra-ca-ba" rs

Marco António disse...

Li com a merecida atenção cada palavra destes sinais do tempo de memórias vividas e sentidas.
Gostei da musicalidade das palavras conjugado com o sentimento.

Abraço,
Marco António aoencontrodotempo.blogspot.com

Tó Luis disse...

Olá Daniele...
Primeiro de tudo dizer-te que fico esperando por esse trabalho sobre a Frida , sou um admirador da sua vida e da sua obra e concerteza que vais fazer um excelente post , fico na expectativa...
Com respeito ao post sobre a Semana de Arte Moderna em São Paulo aqui fica uma pequena amostra...


A Semana de Arte Moderna foi um evento ocorrido em São Paulo no ano de 1922 no período entre 11 e 18 de fevereiro no Teatro Municipal da cidade. Durante os sete dias ocorreu uma exposição modernista no Teatro e nas noites dos dias 13, 15 de fevereiro e 17 ocorreram apresentações de poesia, música e palestras sobre a modernidade.

Representou uma verdadeira renovação da linguagem, na busca de experimentação, na liberdade criadora e na ruptura com o passado. O evento marcou época ao apresentar novas idéias e conceitos artísticos. A nova poesia através da declamação. A nova música por meio de concertos. A nova arte plástica exibida em telas, esculturas e maquetes de arquitetura. O adjetivo "novo", marcando todas estas manifestações, propunha algo a ser recebido com curiosidade ou interesse.

Participaram da Semana nomes consagrados do Modernismo brasileiro, como Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Heitor Villa-Lobos, Manuel Bandeira, Anita Malfatti e Menotti Del Pichia.

Querida Amiga UM BEIJO para ti e Obrigada por veres os meus trabalhos , volta sempre a entrar na Galeria...

Hilda disse...

O mistério da vida, tuas palavras me induzem a pensar que só o desvendaremos quando estivermos longe dela... beijos querida Dani!

Regina disse...

Querida Dani!
Obrigada pelo recadinho no Entre Amigos.
É muito bom te encontrar lá.
Beijos com gostinho de sorvete.
Regina
http://www.regina.blog.trix.net
http://blogentreamigos.zip.net

Vanessa disse...

Oi Amiga!
Quanto tempo!
Tudo bem?
Seu blog está lindo.
beijokas

lily disse...

Olá!
Por acaso passei por aqui.Começei a ler seus poemas e encantada peço-te permissão para voltar!
Preciso de palavras tão bem colocadas para inspirar a minha vida!
Convido-te a conhecer os humildes "versos que canto"!
Deixo-te o meu carinho e admiração.
Beijos...

farinho disse...

Um dia... olharemos para trás, e perguntaremos, valeu a pena?

Muito bom este poema.

Beijocas.

Lela Sodré disse...

Danizinha, etiquetei vc....kkkkk.....vem tomar um cafézinho pra descobrir o que é isso!
Beijocas

Isa&Luis disse...

Olá Danielle,

Um poem a lindo, a vida é uma incerteza constante.

Amei de verdade!

Beijinhos muitos para ti

Isa