6/21/2007

Ao mestre com carinho...


O nosso querido amigo Artur Vaz, convidou-me
para fazer a resenha de sua obra, que será publicada
no seu novo livro. Eu a fiz e já enviei ao mestre, porém
hoje, irei discorrer sinteticamente sobre a grandiosa
obra de Artur Vaz, pois tenho sido honrada com seus
livros, com sua presença constante e a cada dia que
se passa descubro mais a genialidade desse amigo,
poeta, cronista e jornalista português.


"Ao Mestre Artur Vaz..."

A obra de Artur Vaz (composta por crônicas e poemas) é
profundamente densa na forma e nas idéias que defende;
apresenta-se coerente, original, veemente, una.


Nas suas crônicas, como beletrista que é, encontramos
um brado forte, pois sabe como poucos usar e dar
eficácia à palavra, sedimentando alicerces profundos,
cujo objetivo é evidenciar a realidade sócio-cultural.
Constrói sobre o tripé - sociedade, ética e valores -
obras memoráveis que transformam a intelecção
do leitor. Seus poemas arrojados são verdadeiros
ensaios sobre a arte poética, com marcante
sentido social e cenas do cotidiano.

Artur faz da palavra, tanto na poesia como na crônica,
arma de combate autêntica, verbo explosivo e construtor,
conferindo àquela um significado renovador,
vital e educador.

Como artesão da dialética, emprega na linguagem
coloquial um inusitado arrojo das rimas. O mestre não
procura, ensina; não se propõe à eutimia, combate;
não se atém às quadras, permite o fluir gracioso
da letra; não busca o estético, brada a verdade
nua e crua, rasgando as entranhas
e expondo as chagas sociais.


Com a atitude contemplativa de saber olhar e entender
o mundo, capta de toda a vaga de sentimentos e
emoções que pela fina escrita se evidenciam como
sinais de não haver outras inquietações. E, assim,
esse obscuro sentido das coisas se decanta
"VAGUEANDO" em um "embalar melódico,
que parece ir embalando meu coração tristonho
e frio como a areia que os meus pés vão pisando",
na
harmoniosa frequência de vocábulos como "melódico",
"tristonho", "embalando", "olhando", "pisando",
"infinito", "desejado", "encontro", "abandono".
O que mais se observa na carga expressiva da sua
obra poética é o nítido tom desenfadado e subtil
de captar o sentido profundo das coisas,
sentimentos e idéias.

"Ao Mestre com carinho..."

Mestre amigo,
parceiro sereno,
doce e autêntico,
generosidade aflorada,
palavras precisas,
serenas firmezas,
o verbo na polpa dos dedos,
à flor do coração, em carne viva.

(by Daniele)

19 comentários:

Artur Vaz disse...

Estou sem palavras.
Sinceramente, acho que coisa mais maravilhosa do Mundo é ter amigos.
E eu posso considerar-me feliz por ter conquistado o carinho e amizade da escritora e poetisa Daniele Vasques.
Muito obrigado.
Do seu amigo e admirador
Artur Vaz

Ricardo Rayol disse...

Uma belissima homenagem que só você, com sua capacidade narrativa, poderia propiciar. Saudações então ao Mestre.

Guilherme disse...

Artur parabéns por ter a Dani colaborando na sua obra, pois possuí inteligência, capacidade e conhecimento.

A.S. disse...

Parabéns pelo teu talento Daniele!...


Um terno beijo...

Anônimo disse...

Lindissímo!

elisabete cunha

Miosotis disse...

F...aça da sua vida o bastante
E...scute o seu coração
L...eia os olhos de quem te ama
I...nspire seu coração
C...onte comigo
I...dealize seus sonhos
D...e mais de você a você mesmo
A...me quem te ama
D...eixe de lado a tristeza
E...assim
S...erá feliz!
♥-:¦:- T
♥-:¦:-♥-:¦:- E
♥-:¦:-♥-:¦:-♥-:¦: A
♥-:¦:-♥-:¦:-♥-:¦:-♥-:¦ D
♥-:¦:-♥-:¦:-♥-:¦:-♥-:¦:-♥-:¦: O
♥-:¦:-♥-:¦:-♥-:¦: ♥-:¦:-♥-:¦:-♥-:¦: R
♥-:¦:-♥-:¦:-♥-:¦: ♥-:¦:-♥-:¦:-♥-:¦:-♥-:¦ O

Lino disse...

Pelo que você fala e como fala, a obra do Artur parece mesmo muito boa. Acho que o publicado no seu blog dá uma boa mostra do trabalho dele.

Kanoff disse...

His finger then, now yours
here, where master stopped, went back,
counted syllables.

(Irving Feldman)

sónia disse...

um grande mestre, sem dúvida! e uma boa fonte de inspiração!


um bom fim de semana

JPAnunciação disse...

Uma autêntica Dedicatória!
Tudo está bem quando se escreve, sentindo assim.

Um beijo.

Bernardo disse...

Cara Daniele poucas vezes tive a felicidade de me deparar com um talento raro. Seus textos hábeis são uma aula de cultura, os poemas belos e emotivos avançam e denotam uma vocação própria, típica daqueles que nascem predestinados a brilhar. Como se não bastasse, conferi a sua beleza estética no slide.

Meu mundo distante,
Me mostra como águia,
Que encantada observa
Tão bela mulher.

Meu mundo ao redor,
Tão distante de mim,
Só mostra o quanto
Me encanta você.

Um doce beijo para ti.

o alquimista disse...

O beijo da bruma com a água, é dança de dispersos sonhos, perdidos no silêncio desta baía, por longos e agrestes caminhos. Sentei-me! No peito ausência, a luz não tem hora, a paixão solta de amarras, que teima em não ir embora. Gira a vida em sua roda, invisível, celebro os dons da terra com a aurora, no espelho desta lagoa em arrepio, vejo um conhecido rosto que chora.


Bom fim de semana


Doce beijo

Fúria das Águas disse...

MInha querida amiga Dani quando eu crescer quero escrever igual a vc, és maravilhosa minha amiga,tens um talento raro. Sou honrada de ter tua amizade e sou tua fã incondicional.
UM beijos minha querida.
Furia

MIGUEL GIRASSOL disse...

bela homenagem.

littledragonblue disse...

Sigam a sabedoria dos grandes mestres, pois eles são a sabedoria da vida justa e feliz.
Um beijinho e votos de uma boa semana

Nilson Barcelli disse...

Gostei da sua homenagem.
Não só por estar muito bem escrita, mas principalmente pelo sentir das suas palavras, de um carinho e generosidade enormes.
Ter a Daniele como amiga é um privilégio.
Boa semana, beijinhos.

Sheherazade disse...

Danilinda,
Fiquei lisonjeadíssima com a "missão" que me deste. Espero que tenhas recebido o meu e-mail.
Amotu, por demais!

Beijos

Vera disse...

Minha querida amiga, estou sensibilizada demais com tudo o que disseste! Tu és grandiosa demais amiga!
Que orgulho tenho em te ter como amiga! Tenho a certeza que o grande Artur Vaz ficou emocionado demais, porque é impossível ser de outra forma!

Um beijo enorme!
Adoro-te muito minha querida!

hilda disse...

Uma resenha inteligente, bem escrita que passa toda emoção das palavras de Artur Vaz.

Homenagem sensível que somente uma alma emocional como a sua, comporia.

Beijocas